quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O mistério da Ilha - Jany Patricio


Imagem relacionada

O mistério da Ilha
Jany Patricio

Naquele dia o mar estava revolto. Os cientistas australianos que procuravam a Ilha de Sandy no Mar de Coral ficaram apreensivos com a forte movimentação das ondas e resolveram retornar. Não conseguiram comprovar a existência da tal ilha, entre a Austrália e o território francês da Nova Caledônia.

        Na volta, o que os deixou intrigados foi a quantidade de cardumes de golfinhos e baleias que seguiam na mesma direção. Tiveram receio de serem atacados, porém os animais iam calmos parecendo acompanhar uma procissão.

        Peter Towned, um jovem cientista da expedição não sentiu-se satisfeito com o resultado da pesquisa. Sem comentar com os seus colegas superiores guardou consigo o desejo de refazer a viagem em outra oportunidade.

        Passados muitos anos, Peter tornou-se um renomado pesquisador em seu país e os seus feitos foram reconhecidos no mundo. Em uma ocasião foi convidado para fazer pesquisas sobre placas tectônicas no Japão. Nesta viagem foi acompanhado por seu filho Mark, que seguiu a carreira do pai.

        Certo dia, enquanto jantavam em frente ao monte Fuji, Peter tocou no assunto da Ilha Sandy. Mark viu o brilho no olhar do pai e ficou curioso e entusiasmado pela ideia de visitar a região.

        Solicitaram ao governo da Austrália autorização para a viagem, que fariam com seus próprios recursos durante as férias. Foram num Dronimóvel equipado com  instrumentos de localização que adquiriram no Japão.

        Ao chegarem próximo à região observaram o mar revolto e os cardumes de golfinhos e baleias que circulavam certo local.  Ao anoitecer, viram algo brotando vagarosamente das águas. Neste momento os animais pulavam, como se fizessem festa. Estavam agitados, porém, pareciam felizes.


        O volume que emergia no mar começou a crescer e no centro dele uma luz verde movimentava-se em círculos como um farol. Os olhos incrédulos dos aventureiros viram centenas de discos luminosos saírem do centro da elevação e vinham em sua direção. Não houve tempo para retornar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Em desalinho - Ana Catarina Sant’Anna Maues

Em desalinho Ana Catarina Sant’Anna Maues    Cheio de segredos ele vivia. Era homem de ações nada claras. Pessoa fria e calcul...