terça-feira, 14 de novembro de 2017

CURIOSIDADE: ETIMOLOGIA DE ALGUMAS PALAVRAS


ETIMOLOGIA DE ALGUMAS PALAVRAS

Resultado de imagem para palavras

Bastardo:  Vem do Francês arcaico BASTARD, modernamente BÂTARD, “filho de nobre com mulher que não seja sua esposa”. Vem da expressão FILS DE BAST, “filho de cobertor de sela”, pois estes, além de revestir a parte inferior dela, serviam como cobertas numa viagem. Essa condição, na Idade Média, não era vista como agora. Muitos filhos de nobres alcançaram altas posições. E essa é a origem da expressão “ter o rei na barriga”: muitas amantes de personagens reais desfrutavam do prestígio a elas conferido de portar um herdeiro real no ventre.
PRIMOGÊNITO – do grego, de primus, “primeiro, o que veio antes de todos”, mais genitus, “nascido, gerado”.  Existe gente, contudo, que anuncia o nascimento de “seu segundo primogênito”, “seu terceiro primogênito”, etc.
Toalha. Esta vem do Francês toaille, que vem do Latim tela, “tecido, pano”. Daí derivou toilette, no início “pequena toalha, toalha de mesa” e depois “arrumação, higiene corporal”
Dentifrício:  Essa palavra vem do Latim dens, “dente”, mais fricare, “esfregar”, já que é uma pasta para fazer exatamente isso.
Nariz: Latim nasus, “nariz”.

Olho:  vem do Latim oculus, “olho”

Debate: Do Francês antigo DEBATRE, originalmente “lutar”, formado por DE-, completamente”, mais BATRE, “bater, golpear

Decadência: Do Latim DECADENTIA, “o que está estragado”, de DECADERE, formado por DE, “fora”, mais CADERE, “cair.
Vadio: vem do Latim VAGATIVUS, “o que anda sem destino”, de VAGARE, “andar sem propósito, sem destino. O emprego pejorativo tem origem óbvia: uma pessoa que gastava seu tempo andando ao léu não podia se dedicar a atividades necessárias a alguém que pertencesse a um grupo e cooperasse para as suas finalidades. Outras conotações pejorativas daí se desenvolveram.
Obrigado: obrigado” vem do Latim OBLIGARE, formado por OB, “a”, mais LIGARE, “unir, atar”. Quando dizemos “obrigado” estamos dizendo que nos sentimos ligados pelos laços do agradecimento a quem nos fez um favor 

Fêmea:  que veio do latim FEMELLA, “jovem do sexo feminino”, de FEMINA, “mulher”. “Feminino” e “feminismo” são outros derivados

Fiado: Do latim FIDARE, “confiar, crer, acreditar”, de FIDES, “fé, confiança”.

Filhos: filius em Latim / Primos: Esta palavra vem do Latim consobrinus primus, “primeiro consobrinho”. / Tios: Esses vêm do Grego thios.  Mas, no Latim, prevaleceu por um tempo uma situação que nos parece estranha. Havia um nome para cada tipo de tios. O irmão da mãe era chamado avunculus. A irmã dela era a matertera. O irmão do pai era o patrius e a irmã do pai se dizia amita / Netos: Esses vêm do Latim nepos , inicialmente “filho da irmã, neto, descendente”. Mais tarde essa palavra adquiriu o sentido de “sobrinho”. Veio do Indo-Europeu nepot- , “neto, descendente outro que não o filho. / Foi aí que originou nepotismo . Esta palavra passou a se usar em 1662, na época em que nem todos os Papas se distinguiam pela santidade. Alguns tinham filhos naturais, que chamavam de nipoti , “sobrinhos”, e que eram beneficiados com cargos e outras vantagens.

Navio:  os gregos chamavam de naus os seus navios; em Latim isso se transformou emnavis, de onde passou para nós como navio ou nave.

Ônibus: omnibus em Latim, quer dizer “para todos” e se aplicou a uma espécie de transporte por carruagem que servia a todas as classes sociais, na Inglaterra, em 1832. Mais tarde ela foi aplicada aos veículos de transporte de pessoas movidos a motor e abreviada para bus por lá.

Abrigo: Vem do Latim apricare, “proteger-se do frio aquecendo-se ao sol”, de apricus, “exposto ao sol”.

Cachecol  -  do Francês cache-col, literalmente “esconde o pescoço”, já que essa
é a parte do corpo defendida pela peça.

Caipira: Do Tupi CAA, “mato”, e PIR, “que corta”.

Flagrante:  Ser apanhado assim pode ser a maior de todas as provas. Vem do Latimflagrans, “o que queima, ardente”, do verbo flagrare, “queimar”, da raiz Indo-Européiabhleg-, “queimar”.

Detetive: vem do Latim detectare, “descobrir, destapar”, formado por de-, “fora”, mais tegere, “cobrir com algo”. Ele é a pessoa que “destapa, descobre” o que estava oculto pela conduta do criminoso.

Adivinhar: vem do Latim divinare, “predizer o futuro”, de divinus, “divino, relativo a um deus”, que veio de divus, “deus”.


Edifício:  vem do Latim aedes, “casa, mansão”. O nome acabou se fixando nos edifícios que existiam em Roma e que tinham até cinco andares, usados como morada para as pessoas de baixa renda. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Carta para Otavinho - Isabel Lopes

São Paulo, 9 de agosto de 2018. Querido Otavinho, Vou lhe contar um segredo, mas não conte para ninguém, por favor... ...