quinta-feira, 1 de junho de 2017

Conflito de sentimentos - Henrique Schnaider


Resultado de imagem para mulher doente


Conflito de sentimentos
Henrique Schnaider

Moacir nasceu em uma família em família tradicional na cidade de São Paulo, católicos praticantes e ativos na vida comunitária da Igreja que frequentavam.

Sua infância, pode ser considerada feliz junto com seus três irmãos, brincadeira na rua de terra junto com os amigos e a ida às missas e atividades na Igreja.

Como era um menino inteligente e estudioso, Moacir não teve dificuldades nos estudos, e rapidamente concluiu os estudos preliminares. Fez cursinho de preparação para os estudos de Engenharia.

Eis que Moacir sente um frio na espinha e um abalo no coração, quando observou Barbara, uma menina linda de corpo perfeito, muito bem-comportada, diferente das outras jovens. Vestia-se com jovial elegância inteligente e se destacava facilmente nos estudos em relação as outras jovens.

O rapaz ficou encantado e não conseguia mais tirar os olhos daquele encanto de garota. Percebeu que ela notou aquele olhar insistente, mas dava todos os sinais de quem estava gostando da situação. Moacir não resistiu. Esperou Barbara ao final da aula e puxou conversa, perguntado sobre a prova matemática que tinham acabado de fazer, e conversa vai conversa vem, acabaram por marcar um encontro num barzinho não muito longe dali para aquela noite.

Ele preparou-se em casa, vestiu a sua melhor roupa, usou seu melhor perfume e foi para o encontro com o coração batendo forte, pensando quando poderia seu primeiro beijo em Barbara. Só de pensar nisso se derretia todo.

Encontraram-se, e a noite foi maravilhosa, melhor até do que Moacir havia imaginado em seus devaneios. Beijaram-se muito e a situação ficou quente.

O namoro foi de vento em popa e rapidamente, ficaram noivos e marcaram casamento para muito breve. Dali a dois meses para alegria de ambas as famílias.

O casamento e a festa foi algo de sonho, Moacir e Barbara estavam felizes e conseguiam passar este sentimento para as pessoas presentes.

Partiram para a lua de mel tão esperada,  em uma ilha tropical, ambos apaixonadíssimos, achando que a relação era o inicio de uma feliz que duraria para sempre.

Voltaram para São Paulo e começaram a vida em comum, num lindo apartamento e o casal de pombinhos estavam que era pura felicidade.

Iniciaram na vida profissional e não tinham problemas financeiros. Assim foram vivendo nesta vida feliz por dois anos e resolveram ter uma criança no lar para que sua felicidade fosse completa.

No começo tudo parecia perfeito.  Mas, tentavam de tudo para que Barbara engravidasse, sem sucesso.  Procuraram o médico que recomendou que procurassem um especialista de fertilização artificial.

Os fracassos se sucediam e nada de Barbara engravidar, e ainda para complicar mais as coisas, descobriram que a jovem estava com diabetes de alto grau devido a grande ansiedade e tristeza causando problemas emocionais.

Barbara necessitava de altas doses de insulina e Moacir começou a ter um sentimento duplo de amor e ódio já que inconscientemente, culpava a jovem por aquela situação e não a perdoava. Este sentimento de ódio ficou tão grande que matou o amor de Moacir por Barbara.

O marido começa a ter ideias malucas sobre se livrar da esposa, já que não podia ter um filho.

Engendrou um plano tenebroso, e começou a mudar a dosagem da insulina que Barbara consumia. Aos poucos ela começou a sentir os efeitos da barbaridade que Moacir estava cometendo, até que um dia Barbara acabou falecendo.

A policia desconfiou que alguma coisa estava errada e no exame pericial descobriram que ela tinha estava tomando alta dosagem de insulina e começaram a apertar Moacir que acabou confessando o crime.


Moacir foi julgado e condenado a trinta anos de prisão, estava cumprindo pena de prisão na Penitenciaria de Tremembé, mas aguentou nem ele mesmo conviver com seu erro, acabou pondo fim a própria vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A ÚLTIMA CENA - Isabel Lopes

A ÚLTIMA CENA Isabel Lopes O destino, esse brincalhão, parecia não se cansar de empurrar Jandira por caminhos controversos....