quinta-feira, 22 de junho de 2017

BRUXA DISSIMULADA - Do Carmo

Imagem relacionada

BRUXA DISSIMULADA
Do Carmo


Eu nasci estranha. Minha mãe sempre repetia isso.

Mas, convivia muito bem com meus amigos.

Sempre achei que era uma meiguice em pessoa.

Por muitos anos tive que dormir no sótão, minha mãe tinha medo de mim.
Tinha dias que eu sumia de casa e voltava transformada, cheia de ódio.

Pensava que saindo sem rumo, aliviaria a humilhação que minha mãe me fazia passar na frente de meus amigos.

Ledo engano, eles começaram a acreditar que eu era realmente uma bruxa dissimulada.

Um dia provarei que não sou nada disso, em todas as hipóteses.

E vai ser hoje, no aniversário de minha mãe, que vou conseguir mostrar o que queria que todos pensassem.

Em plena festa, na hora da música de parabéns, na frente de todos, abrirei minhas asas e sairei voando 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A ÚLTIMA CENA - Isabel Lopes

A ÚLTIMA CENA Isabel Lopes O destino, esse brincalhão, parecia não se cansar de empurrar Jandira por caminhos controversos....