segunda-feira, 15 de maio de 2017

Sorte ou proteção divina! - (Amora)


Imagem relacionada

Sorte ou proteção divina!
(Amora)


Mário, homem trabalhador, é mandado embora do emprego de tantos anos, por falência da firma.

Entristecido, percorre várias outras, consulta jornais, tudo que falasse sobre “procura-se”! Envia currículo de contador e aguarda respostas, ansiosamente!
Com o tempo, nada surgindo, a situação familiar também vai deteriorando, muitas brigas com esposa e filhos, terminando por ficar só.

Sua angústia vira forte depressão, culminando com uma ideia fixa: o suicídio! Desistiria de viver.

Escolhe uma ponte bem alta da cidade e, subindo no parapeito, atira-se para as profundezas do rio. 

Não cai na água, mas dentro do convés de um barco que, por ali navegava, assustando muito o pescador Pedro, que voltava para casa.

Com muita raiva, Mário ergue-se e faz menção de atirar-se n’água, firme na sua vontade.

É impedido por Pedro que, segurando-o inibe o movimento. Através de uma boa conversa, é dissuadido pelo pescador, que tenta animá-lo, acabar com essa ideia, recomeçar a viver.  Seria, no momento, seu auxiliar, pois com a velhice chegando, o trabalho estava muito cansativo.

Assim Mário renasce para a vida, entre rios, mares, peixes, a calmaria das águas e da natureza, que tanto lhe faltava!

             

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A ÚLTIMA CENA - Isabel Lopes

A ÚLTIMA CENA Isabel Lopes O destino, esse brincalhão, parecia não se cansar de empurrar Jandira por caminhos controversos....